Eis o dilema. Dá ou não dá para viver de música de verdade? Ora, encarnando o Platão, podemos filosofar mais e dizer: o que é viver de música, afinal?

Nesses poucos mais de 4 meses de vida do Gestão de Bandas, posso dizer que aprendi muito mais do que imaginava sobre o mercado musical. Ontem mesmo compartilhei meu pensamento no Facebook: a minha única certeza é da incerteza.

Quanto mais aprendo, menos sei. E com mais de 5.000 profissionais da música atingidos e com até agora 423 usuários ativos na plataforma, posso dizer com propriedade que não existe receita para viver de música.

Mas então como vencer esse desafio? E será que hoje, é realmente possível ter aquela vida de superstar? Com carrões e estádios lotados?

A pergunta certa para viver de música

Viver de música

Você quer isso? Quer mesmo viver de música? Ou você acha que quer e está tentando a sorte?

Eu posso afirmar sem sombra de dúvida, que a maioria das pessoas que está lendo aqui agora, não sabem se quer realmente viver de música. A maioria não estará disposta a pagar o preço por isso.

Eu sei porque eu vejo todos os dias. No contato com as dezenas de bandas e músicos que procuram nossa ajuda por aqui. Eu fiquei muito surpreso com a quantidade de isenções quando a coisa começa a tomar ares mais profissionais.

E ainda existe um outro viés. Uma vez que você esteja realmente disposto a viver de música e pagar o preço, precisa saber se tem ao lado, companheiros dispostos a fazer o mesmo.

A música é algo divino, encantador, curador e salvador. Poder exercer essa profissão é um privilégio. E nem todo mundo percebe isso. Nem todo mundo enxerga a responsabilidade nisso.

A grande responsa

Ontem aconteceu uma tragédia em nosso país. Mais de 70 pessoas, divididos entre atletas, comissão técnica e profissionais da imprensa, morreram na queda de um avião fretado para o time do Chapecoense disputar a final da Copa Sul-Americana.

A tragédia comoveu o mundo. A hashtag #ForçaChape se espalhou e foi a maior de um time de futebol até hoje.

Em momentos difíceis, recorremos a música. Ela nos conforta e divide o peso da dor. Ela traz paz e alegria. Ela levanta aqueles que estão derrubados e precisam de ajuda.

Os Arrais são uma banda cristã. Mas independente de religião ou credo, eles fizeram uma grande homenagem às famílias e todos os diretamente afetados na tragédia. Veja o vídeo abaixo:

Ele viralizou e tem quase 1 milhão de visualizações. ESSE É O PODER DA MÚSICA!

Você provavelmente vai dizer que quer isso. Mas a maioria não está disposta a suportar esse peso. Essa responsabilidade que é ser um artista.

Nós criamos uma plataforma única no mundo, com a intenção de ser um local de encontro do músico que deseja se profissionalizar.

Mesmo que já tenhamos centenas de usuários ativos, já alcançamos muitas vezes mais bandas e músicos. Mas, infelizmente e felizmente, a maioria deles parou na primeira vez que ouviu falar de “fluxo de caixa”.

“Não sou banqueiro!” eles dizem. E então eu digo: “Pois é, meu amigo, eu acho que você tem uma visão muito distorcida do que é ser artista.”

O Músico e o Artista

Nem todo músico é artista. E como músico, definitivamente você não é obrigado a ser artista. Principalmente, se você é alguém mais introspectivo e não gosta de lidar com pessoas.

Se assumir como um músico que não é artista, lhe dá grandes chances de repensar a trilha da sua carreira. Um músico que não é artista vai ter limitações de escolha, e tudo bem se estiver tudo bem para você também.

Uma vez fiz uma MasterClass de Expressão Vocal e Belting Contemporâneo com um grande maestro, chamado Marconi Araújo. Ele é diretor musical e tem um ouvido que nunca vi igual até hoje.

Sem star quality, ainda dá pra se virar. O esforço sempre compensa o dom Click To Tweet

Ele dizia que um grande artista é composto de 3 características:

  • Trabalho duro
  • Disciplina
  • E Star Quality

Essa tríade compõe todo artista de sucesso. Talvez, assim como eu, você tenha achado esquisito o termo star quality. Mas eu explico:

Star Quality é a combinação de presença, força, grandeza e convicção de um artista. É aquele cara que você muitas vezes treme ao estar perto. Aquele que algumas vezes você tem dificuldade de olhar no olho. Aquele que você respeita sem saber porquê exatamente.

Não confunda nada disso com soberba. Um artista de alta grandeza não tem nada a ver com um artista boçal. Muito pelo contrário. A estrela brilha ainda mais pela sua humildade.

Mas veja que esse tripé não anda sozinho. Ele é acompanhado de duas características que qualquer pessoa pode ter: disciplina e trabalho duro.

Logo, o viver de música já faz o seu filtro natural aqui. A maioria dos que estão lendo aqui, não vão ter peito para trabalhar duro. Não tem saco para disciplina. Estão na música justamente porque acreditavam que iriam se livrar disso.

Pra quem não quer viver de música

Viver de música e star quality
Tem moral de ser a Lady Gaga?

Com o star quality, naturalmente você encontrará seu caminho para o trabalho duro e disciplina. Pois muitas vezes, o seu propósito te obrigará a isso. Mas nem sempre.

Não é preciso ir muito longe para ver “aquele talento desperdiçado”. Novamente, sem a tríade, você não vai muito longe.

Sem star quality, ainda dá pra se virar. O esforço sempre compensa o dom. E vemos muito disso por aí. Bandas e artistas que nem são tão bons assim. Mas que estão lá, ganhando prêmios e fazendo o que amam.

E nessa hora eu te convido a fazer uma auto-avaliação. Reflita sobre essas 3 características e pergunte-se:

  • Eu trabalho realmente duro para viver de música?
  • Como eu consigo medir esse esforço?
  • Eu tenho disciplina?
  • Eu domino o meu instrumento?
  • Eu deixo de fazer coisas que todos estão fazendo para me dedicar ao projeto?
  • Eu tenho Star Quality?
  • Se eu não tenho, estou me esforçando para compensá-la?
  • Estou disposto a fazer o que for preciso para esse projeto funcionar? Desde que não tenha que passar por cima de ninguém?

Passe um tempo pensando nisso. Seja brutalmente sincero consigo mesmo. Depois dessa reflexão, diga a si mesmo se quer MESMO viver de música.

A resposta pode doer. Mas se apresse se ela for negativa. Não atrase a vida dos seus colegas de banda se decidir que não quer viver de música.

E se decidir, esteja ciente do que é a vida de um músico artista. Muitas vezes sem lar definido, por muito tempo ganhando apenas para sobreviver.

É assim com qualquer empreendedor. Eu não sei se você sabe, mas você é um empreendedor. E quanto mais cedo entender isso, mais fácil conseguirá assumir o comportamento de um verdadeiro artista.

O Músico Empreendedor

Uma vez que entende que sua música é um negócio tanto quanto uma padaria, as coisas vão ficar mais claras. Você vai entender que precisa dirigir diversos aspectos da sua banda-empresa.

Planejamento, logística, operações, financeiro, marketing e vendas. Tudo isso no seu colo. E claro que você vai precisar de ajuda.

E é nesse momento, nessa compreensão, que muitos desistem. Certo dia, um músico veio me pedir ajuda para conseguir mais shows na cidade dele.

Logo, eu pedi um EPK.

Ele disse que não fazia ideia do que era. E isso explica muito do porquê ele não consegue fazer shows.

Eu me propus a ajudar, e mostrei alguns conteúdos aqui do blog do Gestão de Bandas. No caso, o post Como Fazer um Press Kit.

A resposta? “Que trampo!”

GB Mkt Pack: Marketing para viver de música

E nunca mais ele falou comigo. O músico não estava disposto a aprender e preferia continuar ir de caixa de entrada em caixa de entrada implorando por lugar para tocar.

É nessa hora que o joio é separado do trigo. Não existe nenhum Moisés para te salvar da escravidão da música e abrir o Mar Vermelho do sucesso para sua banda. Isso não vai acontecer.

Se está esperando um investidor cheio da grana que se apaixone pela sua música e no outro dia te coloque para tocar nos maiores festivais do planeta, você está sentado em um trono cheio de estrume!

“Mas eu não nasci pra isso, eu nasci pra cantar!”

Ok, nem todo mundo tem peito para encarar um negócio. Nem todo mundo quer ser empreendedor. E não há nenhum problema com isso.

Mas é preciso ter ciência de que alguém precisa te ajudar nesse caso. Alguém precisa fazer esse lado executivo.

E você tem duas opções: convence alguém com esse tino de empresário a te ajudar ou contrata alguém. Isso mesmo, contrata! Nenhuma corneta vai tocar e nenhum empresário vai chegar em uma nuvem para te salvar.

Um investidor investe em negócios com potencial de retorno, e não em sonhos.

Logo, ao ter pessoas do seu lado que ajudarão a cuidar de todas as partes da sua empresa, você estará livre para fazer o que faz melhor: tocar.

Saiba que isso vai te trazer muito trabalho. Nem todo mundo está disposto a assumir um empresa que ainda está na promessa. Você vai precisar exercitar seu poder de convencimento e com certeza melhorar a sua proposta.

Só de se esforçar para isso, você já vai perceber se quer ou não viver de música.

O Melhor Momento para viver de música no Brasil

Eu digo sem medo de arriscar. Esse é o melhor momento para tentar crescer o seu projeto musical e viver de música de verdade, se estiver disposto a aprender.

Em nenhum momento se teve tão fácil acesso a tantos recursos que o ajudam a viver de música como nos dias de hoje.

São cursos, serviços e profissionais dispostos a entregar conteúdo de valor para te ajudar a viver de música.

Você pode até mesmo aprender de quem já tem uma brilhante carreira, como o Kiko Loureiro. O curso de Music Business do Kiko, mesmo que sendo bastante básico e sem você de fato ter suporte direto do roqueiro, é um ótimo caminho para começar.

Outra opção é o curso Planejando sua Carreira do NovoArtista.com. Esse é um curso bastante completo, mas que assim como do Kiko, abre apenas algumas vagas durante o ano.

Talvez sua carreira não possa esperar. Temos também o Geração Y e Lucas Xavier, sempre com algumas dicas e projetos sobre marketing musical. Apesar destes projetos focarem unicamente em marketing, são bons canais para tirar lições de nível básico se não entende nada do assunto.

Ainda sinto falta de especialistas em outras áreas. Como Booking, por exemplo. Aguardo ansioso por especialistas no assunto criarem conteúdo assim como os de marketing criam.

O canal no Youtube da Bruna Campos, que inclusive já entrevistamos por aqui, é um ótimo lugar para aprender sobre edição musical e sobre direitos autorais.

E isso que estou falando apenas dos que são online, com acesso a qualquer pessoa com internet. Existem outros inúmeros caminhos, com pessoas dispostas e com conhecimento para ajudar.

Nós mesmos já apontamos diversas estratégias de marketing e vendas aqui no blog.

Sua vez

É só você querer. Apesar de ser um movimento muito novo e ainda muito imaturo, o nicho de educação de negócio musical online vem crescendo e se consolidando cada vez mais.

Nós, no Gestão de Bandas, temos a intenção de juntar tudo isso em um só lugar, trazendo os melhores profissionais e serviços para que o próprio músico escolha por onde e com quem aprender. Nada mais justo.

Não à toa, quando fizermos apenas 6 meses de vida, estaremos com uma versão novinha em folha. Com muitos parceiros e instrutores, oferecendo grandes conteúdos para quem quer realmente viver de música.

É possível viver de música? É. Você tem diversos caminhos para seguir, independente de qual caminho escolha, ajuda é o que não falta. Se não está vivendo de música ainda, a culpa é unicamente sua.

Comentários

comments