Seu site é o seu Território Musical na Internet. As redes sociais são fundamentais para você desenvolver sua carreira no mercado musical, não há dúvidas. Facebook, Twitter, Instagram e Youtube são as principais redes que músicos de todo mundo alugam para se comunicar com seus públicos.

Alugam? Sim. Seu canal no Youtube e sua fanpage no Facebook é alugado. Ou você acha que é seu? Você cria uma conta, aceita os termos de uso e políticas de privacidade e utiliza dentro das regras daquela rede e com as ferramentas que elas disponibilizam.

Só pra você ter uma ideia. Em 2012, o Facebook começou a limitar o alcance orgânico em 16% do total de fãs de uma página. Em 2014, apenas 6% dos usuários, na média, receberam os posts das páginas. E esse número vem caindo ano após ano…

Com o Youtube não é muito diferente. Um canal monetizado recebe apenas cerca de $1 para cada 1.000 visualizações. Se você pretende ter uma renda de $1.000 mil por mês, terá que gerar 1 milhão de visualizações todo mês. Fácil né?

Sem falar que a plataforma pode simplesmente desaparecer com todo o seu conteúdo. Textos, áudio, vídeos, fãs, inscritos, seguidores, contatos e mensagem, do dia para a noite. Vai reclamar? Boa sorte. Eles tem o regulamento debaixo do braço.

E eu vejo muitos músicos construindo todo seu patrimônio artístico e musical somente nas redes sociais. Muitas vezes em apenas uma delas. É como pegar todo o dinheiro que você guardou a vida toda e investir em ações de uma só empresa.

Você se lembra do Orkut ou do Myspace? Pois é.

E para sair do aluguel, não existe outra maneira a não ser ter o seu próprio canto. E na internet esse seu canto é chamado de site próprio.

 

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DE UM SITE ARTÍSTICO

Agora que você já viu que construir seu negócio musical em uma terra alugada não é um bom negócio, vamos analisar com clareza os potenciais benefícios que todo site artístico tem ou deveria ter.

ORGANIZAÇÃO

Onde encontro as músicas da banda? Tá no Spotify! Onde vejo vídeos da banda? tá no Youtube! onde encontro a agenda da banda? no Facebook! onde vejo fotos? no Instagram! onde encontro novidades? TradiioConfesse, é mais ou menos assim, né?

Uma dos principais benefícios de ter um site é a organização. É como mostrar a sua casa a um visitante, informando que aqui é o quarto, ali é a sala, lá é a cozinha etc.

Através de menus, você orienta seu usuário onde encontrar a informação que ele deseja ter naquele momento. Um menu de vídeos pode abrir uma página contendo todos os vídeos embedados do Youtube e/ou Vimeo, separado por categorias, de clip, ao vivo etc.

Um contratante que entra no seu site poderá identificar rapidamente no menu a descrição de “contratante”, e ali ele poderá ler o release da banda, conhecer o setlist, fazer download de logo, tipografia, rider técnico, mapa de palco, conhecer a estrutura, logística etc.

O mesmo vale para um profissional de imprensa. Um página exclusiva e abundante de informações acerca do seu projeto musical, com fotos de vários tamanhos para download, textos, curiosidades e por ai afora.

MARKETING

Você já ouviu falar no Google Analytics? Trata-se de um serviço gratuito que registra e lhe fornece informações sobre os visitantes do seu site. Não é um contador. É muito mais que isso.

Google Analytics lhe fornece números sobre quantidade de visitas diárias, tempo médio de visita a página, informações demográficas onde ele me diz exatamente de quais países, estados e cidades vem meus visitantes e muito mais.

E essas informações são imprescindíveis para o marketing. Ajuda a entender o comportamento e principalmente de onde eles vem, qual a idade, gênero. Olha esse exemplo do nosso blog:

Neste exemplo, o Google me informa que 75,6% dos visitantes deste blog são do sexo masculino, e que mais de 46% deles estão na faixa dos 25-34 anos.

Ele também fornece informações sobre a localidade exata dos visitantes, sendo possível separar por idioma, país e cidades. Na imagem, podemos ver que nosso Blog saiu de um contexto regional e está, aos poucos, chegando a diversas músicos em todo o País.

Todas as informações que o Analytics coleta, acaba tornando-se vital para você identificar o seu tipo de persona. Muitas vezes você acredita que a sua música é para um público de 25-34 anos, mas quem acessa seu site, a grande maioria é de 18-24. Isso muda tudo.

Isso sem falar que existem outras ferramentas que podem ser incorporadas em um site para monitorar e identificar melhor quem é o visitante que passa mais tempo vendo seu conteúdo, de onde ele é, o que mais lê e vê com mais frequência.

Existe até mesmo plugins e softwares precisos que gravam o comportamento do usuário dentro do site, você simplesmente assiste ele navegando dentro do seu site. Incrível. Só pra citar dois deles que usamos: Smartlook e Hotjar.

RECEITAS

Um site vai lhe gerar receitas, ou seja, dinheiro, tostão, trocado, bolada, bufunfa, dindim, grana, merreca, merréis, pilas, verdinha, vintém. Mas como é possível?

Primeiro de tudo, acredite, não é difícil desenvolver uma loja virtual dentro do seu site. É mais complicado você acertar o imposto correto a ser retido do que instalar e trabalhar com o mais famoso e gratuito gerenciador de vendas Woocommerce.

Um loja virtual abre a possibilidade de você vender o merchan da sua banda para todo o país. O cliente compra, você recebe o pedido, empacota o produto, leva nos correios e despacha para o seu cliente. E a grana chega pelo Paypal ou PagSeguro.

Outra possibilidade é incluir links onde o usuário possa comprar suas músicas em lojas digitais. Na imagem abaixo, você tem um exemplo. Você ouve a música por XX segundos e se gostar, só clicar no ícone da Amazon MP3 ou iTunes para comprar.

Além disso, você pode usar os dados coletados no Marketing para tentar patrocínio de uma marca que tenha relação com o seu público.

No exemplo que colocamos no tópico anterior, você viu que temos um grande acesso (75%) de homens com idade entre 24-35 anos. Eu poderia usar estes dados (e outros, claro) e planejar vender espaço de anúncio ou pegar patrocínio de alguma marca.

Imagine que você possa mostrar para uma marca de roupas que o seu site tem cerca de 5 mil acessos/mês, sendo que 70% destas pessoas moram em cidades onde a marca possui lojas, que 80% dessas pessoas tem a mesma idade do público da marca, que é entre 18-24 anos. Hummm…

BRANDING

Você sabe o que é branding? Trata-se de um conjunto de imagens ou ideais que representam uma empresa, um produto ou um serviço. Segundo a SmartTalk:

o branding é responsável não só por apresentar e representar uma determinada marca ou símbolo que esteja ligado a um produto, serviço ou empresa. é preciso ligar esses elementos através da promessa da reputação e qualidade do que você oferece aos seu público.

A logo que a sua banda usa, a tipografia, a paleta de cores, a fotografia, as letras, o show, tudo isso entra na gestão da sua marca, que é o branding. É trabalhar para que você ou sua banda seja reconhecido pelas pessoas como algo bom, de qualidade.

E o seu site terá participação fundamental, justamente pelo fator da organização que já mencionamos. Quem tiver contato com a sua marca, terá acesso a conteúdos de boa qualidade e direcionados para a pessoa certa.

 

CONTRATANTE E IMPRENSA

O primeiro objetivo do site é definir quem ele irá atender, pra quem é o site. Como músico, você precisa construir seu site tendo em mente três personas: público, imprensa e contratante.

Eu já trabalhei com produção de eventos para bandas autorais, entre 2014 e 2015. Acertar a participação da banda não era difícil, difícil era ter as informações para divulgação do evento e também para o trabalho técnico, saber do que precisavam.

Com um site, fica muito mais do contratante achar essas informações. Como já citei acima, imagina ter uma página específica onde poderia encontrar o release da banda, discografia, encontrar vídeos, fazer download de logo, rider técnico… é outro nível.

Praticidade

Eu trabalhava com eventos de pequeno porte, agora imagina um curador de um festival, com 200 e-mails para analisar. Eu tenho certeza que entre escolher uma ou outra banda, ambas com mesma qualidade sonora, eu iria escolher a que estiver mais organizada.

Eu não precisaria ficar esperando o cara me enviar a logo por e-mail, esperar ele me responder, me passar informações. Estaria pronto. Praticamente um crtl c + crtl v. Ajuda. Facilita. Automatiza o processo. “Entra neste link que tem tudo que precisa”. Perfeito.

E esse processo envolve também a parte da imprensa. Ficar investigando a linha do tempo do artista dá tanto trabalho que nem vale a pena. Como disse, organize tudo isso. Facilite. Sempre.

 

O QUE DEVO COLOCAR NO MEU SITE?

Algumas coisas são fáceis de adivinhar, outras nem tanto. Para que você se beneficie realmente de um site, a promessa que terá que fazer a si mesmo é: produzir conteúdo e ter disciplina para alimentar seu site.

A partir de agora gostaria que você pensasse em cada tópico como um menu do seu site, e cada item desse menu, como uma página a ser trabalhada.

MÚSICAS

Você já usou o Spotify? Já buscou um artista no app? Funciona mais ou menos assim a distribuição dentro dele: músicas populares, rádio do artista, artistas relacionados, álbuns, singles, playlist do artista, aparece em.

Por que eu citei isso? Porque as pessoas criam hábitos, e tudo que envolve sair do hábito delas, atrapalha. Eu uso o Spotify, mas se eu baixar o Deezer ou o Tindal aqui, vou me atrapalhar, perder tempo. Ninguém gosta disso.

Por isso, uma boa sacada para você construir sua página sobre suas músicas, é separar inicialmente por álbuns e singles. Cada um com sua própria arte. E para cada single/álbum disponível, ao clicar, leva a pessoa para mais detalhes sobre aquele trabalho, por exemplo:

Lembre-se que todo EP, álbum ou single, tem uma história para contar. E é muito interessante explorar esse Storytelling de cada trabalho musical. Se você não faz isso, aproveite para fazer. E antes de lançar um EP ou álbum inteiro, lance singles.

VÍDEOS

Vídeos são interessantes pelo simples fato de mesclar música com vídeo. Contar uma história também através de imagens. Também pode mostrar claramente o comportamento do seu público nos shows, a sua personalidade como artista e por ai vai.

No seu site, crie uma página com vídeos embedados do Youtube e/ou Vimeo, separado por categorias. Vou dar exemplo de Cinco Categorias para você usar:

  1. vídeos ao vivo: todo contratante gosta de ver o artista tocando ao vivo, sentir a presença do público, a qualidade do som, comportamento no palco etc.
  2. vídeoclipe: aqui você explora não somente a audição do seu público, mas também a visão; este espaço é muito bom para mostrar a qualidade e competência que você ou sua banda tem para produção.
  3. covers e tributos: se você possui material autoral mas gosta de mesclar ele com covers e tributos, é bom separar do seu conteúdo autoral, para evitar confusão;
  4. entrevistas: ótimo formato que ajuda tanto público, contratante e imprensa a compreender e entender melhor as conquistas, planos futuro, inspiração, fracassos e sucessos. Para a imprensa também é bom ver que outros canais já colocaram seu trabalho como pauta.
  5. na estrada: ótimo formato para mostrar mais o lado humano do artista e para gerar identificação com o público. Mostrar o que faz no dia-a-dia gera curiosidade e identificação com seu público.

AGENDA

Você que tem um fanpage no Facebook, e escolheu a categoria “Artist, Band or Public Figure”, sabe muito bem da opção “Tour Dates”. Bacana, pra quem não tem um site. Problema? Ele só mostra o que irá acontecer.

Mas no seu site, você poderá explorar a agenda mantendo tanto a agenda futura, como também mostrar a agenda do passado. “Ué, e por que?”.

Lembra que falamos sobre contar histórias? É por ai. Além disso, shows que já aconteceram serve para você mostrar autoridade. Eu como contratante que já fui, me interessa saber por onde a banda já tocou, se está tocando com frequência, pedir referencias.

Além disso, é uma ótima forma de você atrair pessoas para o seu site, publicando nas redes sociais que “a agenda da banda está disponível”. Isso pode despertar a curiosidade delas, e para o contratante, serve como referência.

Pela imagem, você também pode observar que do lado direito, temos alguns anúncios internos. Ao acessar o site, seu público pode se deparar com alguma novidade, algum item de merchan ou notícias do próprio blog, que pode ser de interesse dele.

BLOG / NEWS

Blogs são incríveis e você não precisa de tornar um blogueiro por conta disso. Se você não gosta da palavra blog, pode chamar também de news ou novidades.

Digamos que você fez um show no último sábado. No seu blog, você irá fazer uma breve resenha do que foi o show. Colocar algumas fotos/vídeos, escrever um texto curto e agradecer aos parceiros envolvidos. Se tiver uma marca lhe patrocinando, cita ela também.

Se não for um show, pode ser abordando um assunto que tenha relevância para o seu público. Se grande parte dos seus fãs também gosta de determinada outra banda, faça algum post sobre essa banda. “Tá, mas o que eu ganho citando outras bandas?”

Networking. Ao citar um artista ou outra banda, que tenha mesmo público que o seu, é bem provável que este artista acabe por compartilhar isso para o público dele. E os fãs do público dele poderão conhecer o seu trabalho, e se o gênero for parecido, já sabe né.

Além disso, o blog/news pode ser uma forma de você manter informado seu público sobre as atividades da banda, como por exemplo, o andamento de uma gravação, um ensaio, e por ai afora.

Já vi funcionar posts onde o artista colocava duas artes de singles e pedia para o público deixar nos comentários qual eles preferiam e também pedindo para dar dicas sobre produção.

O propósito disso é que você utilize esses posts como isca. Como? Isca. Você posta o link no seu Facebook e as pessoas clicam para saber da sua novidade. No seu site, além de ver o conteúdo do post, você já disponibiliza agenda, músicas e merchan.

 

LOJA

Toda banda que trabalha bem e sabe valorizar sua própria marca sabe que poderá ceder ela para estampar diversos tipos de produtos. O mais comum é vestuário, mas pode chegar até a produtos eróticos.

Se ninguém quiser, você mesmo poderá produzir o seu merchan e disponibilizar ele para venda. E o mais comum é disponibilizar esses produtos em uma loja virtual.

Existe hoje empresas que alugam páginas dentro de seus sites para que o artista inclua os produtos e venda, em troca de uma comissão. São poucas as que além de disponibilizar a plataforma, fazem a entrega ao cliente.

Antes de você pensar em realmente ter uma loja, é preciso que tenha, além de produtos, capacidade de estoque e também de ficar atento aos pedidos e despachar eles pelos correios. Conhece o “Detonator” Bruno Sutter? Pois é, ele que recebe os pedidos e entrega nos correios.

FÃ CLUBE (ÁREA DE MEMBROS)

Já percebi vários sites, principalmente de grandes artistas internacionais e nacionais, a opção de fã clube. Neles, o artista disponibiliza uma plataforma restrita a usuários cadastrados, geralmente por convite, ou até mesmo em formato área de membros.

Embora grande parte deste clubes sejam gratuitos e serve mais engajar os fãs, melhorando a comunicação, já vi alguns artistas trabalhando com fã clube pago, sendo que na verdade o fã assina por um valor mensal e tem acesso a conteúdos exclusivos.

A proposta é parecida com que a Tradiio já faz. Ela dá opção para o artista usar a plataforma deles para gerenciar assinantes, e em troca, fornece material exclusivo para os assinantes, como por exemplo, novas músicas, conversa, bate-papo etc. Clique aqui para conhecer.

Se você deseja fazer isso dentro do seu próprio site, é uma boa, desde que você realmente já tenha um público engajado e parceiros dispostos a ajudar a alavancar o seu fã clube.

E-MAIL MARKETING

Não é um menu, mas sim uma estratégia. O email é uma forma bem direta de comunicação que você pode ter com o seu público, imprensa e contratante.

Para aplicar essa estratégia no seu site, você primeiro terá que contratar uma empresa que presta este serviço, entre eles posso citar dois com o qual já trabalhei: MailChimp e Active Campaign.

A estratégia aqui é disponibilizar em páginas do seu site a opção do usuário deixar o e-mail dele, para que assine uma lista. O ideal é que você disponibilize o download gratuito das suas músicas em troca de um e-mail. E sabe por que? Olha só o que eu peguei aqui do Viver de Blog:

  1. 92% dos usuários na internet tem ao menos 1 conta de email.
  2. 72% dos usuários checam a sua caixa de entrada de emails 6x ou mais todos os dias.
  3. Existem mais de 3.5 Bilhões de contas de emails criadas. (São 3x mais contas de email do que todas as contas do facebook + twitter combinadas!)
  4. 44% das pessoas que recebem emails promocionais realizaram ao menos uma compra no ano passado.
  5. A cada R$ 1 investido, R$ 44,25 é o retorno médio na estratégia de email marketing.
  6. Não envie emails com alta frequência (69% citam que esta é a razão #1 para descadastrarem seu email).
  7. Otimize suas newsletter para mobile (Hoje em dia, mais da metade dos usuários abrem emails em smartphones).
  8. Se possível, personalize seus emails com o nome da pessoa que irá recebê-los. (o aumento de cliques pode ser de até 14%)
  9. Em torno de 50% de uma lista de email se manterá ativa – abrindo ou clicando em emails.
  10. Em 2012, o email marketing teve um ROI (Retorno Sobre Investimento) de 4000%.

E alguns dados de 2015, segundo estudo da SalesForce.

  1. 73% dos profissionais de marketing acreditam que email marketing é o fundamental principal do seu negócio.
  2. 60% dos profissionais de marketing dizem que o email é crítico para seu produto ou serviço, contra 42% em 2014.
  3. 43% dos negócios possuem times que gerenciam email marketing de 2-3 pessoas.
  4. 74% dos profissionais de marketing acreditam que email marketing continuará produzindo um bom retorno sobre investimento no futuro.
  5. 69,7% dos usuários de internet tem o email como método preferido para se comunicar com negócios e empresas.

 

CONTATO 

Não esqueça de disponibilizar uma página com um formulário de contato no próprio site, para que os interessados possam enviar dúvidas, sugestões, criticas e claro, vendas.

Disponibilize também nome, e-mail e telefone de contato de todos os responsáveis, tanto para suporte da loja, como para contratos de show, assessoria de imprensa, e outros.

Aproveite também para anotar endereço de onde sua banda está disponível para possíveis reuniões. Um bom coworking presta esse tipo de serviço e disponibiliza telefone para recados e endereço (não fiscal) para cartinha dos seus fãs.

COMO COMEÇAR

Primeiro de tudo, é necessário desenvolver seu projeto de site. Putz, projeto… sim. Para facilitar sua vida, nós disponibilizamos gratuitamente o curso Project Model Canvas, onde você entenderá a estrutura de projetos. Temos um exemplo sobre sites, veja lá.

É comum que agências desenvolvam sites, existem milhares delas. Porém são poucas que trabalham com o mercado musical. A agência será responsável por indicar a você a hospedagem, trabalhar na diagramação, no design, na arte etc.

Existem também freelancers que fazem exatamente o que as agências fazem. O ideal é procurar um que atenda suas exigências e que compreenda a essência do seu trabalho.

O QUE NÃO FAZER

Se você deseja mesmo sair do aluguel e ter sua casa própria, sugiro que evite o seguinte:

  1. NUNCA contrate Wix, WordPress.com, UolHost, Blogger e outros que dizem ser fácil construir sites. Eles te ganham pelo preço baixo e facilidade e te aprisionam em serviços fechados, com ferramentas próprias ou de parceiros, sem falar que a grande maioria é paga e não gera resultados;
  2. Procurar agências ou profissionais que não entendem nada sobre o mercado musical. Eles vão te entregar um site institucional;
  3. Contratar agências ou profissionais que não lhe dão treinamento para que você mesmo gerencie posts, agenda de shows e alteração de informações. Você vai continuar pagando aluguel;
  4. Contratar agências ou profissionais sem ter o projeto descrito pelo Project Model Canvas. Não tem como começar o desenvolvimento de sites sem ter logo, release, fotografia, videos etc.

SEJA AUTODIDATA E FAÇA VOCÊ MESMO

  1. compre seu domínio no RegistroBR (R$40,00/ano);
  2. contrate o plano M de hospedagem da HostGator Brasil (R$22,90/mês); 
  3. assine a Escola Ninja WP para aprender a usar o WordPress (R$49,90/mês);
  4. compre o tema para WordPress Decibel ($59,00/única vez)
  5. se você for produtor ou tiver um estúdio gravadora, compre o tema Sonic ($64,00/única vez)
  6. disponibilize pelo menos duas horas/dia para você aprender a usar os elementos do tema.

NÓS FAZEMOS PARA VOCÊ

Em 2017 a Gestão de Bandas, em parceria com a Marfin LAB, irá desenvolver sites para artistas, bandas e produtoras. Nosso diferencial será justamente nessa especialização.

Todos os projetos serão desenvolvidos de forma estratégica, considerando todos os elementos que foi discutido neste artigo, inclusive loja virtual e área de membros.

Como é um trabalho que exige acompanhamento contínuo, estaremos abrindo o serviço com demanda limitada. Caso tenha interesse, por favor envie um e-mail para gb@gestaodebandas.com.br ou clique aqui.

Comentários

comments