Recentemente acompanhei algumas discussões entre músicos nas minhas redes sociais, e o assunto era sobre como o dinheiro era determinante no sucesso ou não de suas carreiras musicais. 

“Chegou onde está porque tem dinheiro e comprou todo mundo!”. “Só toca na rádio porque comprou jabá!”. “Tem milhões de visualizações, tudo comprado!”. “Olha só o clipe deles, se eu tivesse dinheiro faria um igual ou até melhor!”.

Eu parei para refletir sobre o assunto e comecei a revisar nos meus estudos sobre trajetórias de músicos bem sucedidos, e pasme, encontrei a resposta no título do álbum do Mestre Falcão: Dinheiro Não é Tudo, Mas é 100%.

Sim, o mesmo Falcão do hit “porque homem é homem / Menino é menino / Macaco é macaco / E viado é viado”.

Por isso eu decidi desenvolver este post apresentando os seguintes assuntos:

  • Porque Dinheiro Não é Tudo
  • Porque Dinheiro é 100%
  • Como Organizar suas Finanças
  • E porque Ganhar Dinheiro não é Pecado

Porque Dinheiro Não é Tudo

Já são quatro anos que eu estudo o desenvolvimento de músicos, duplas e bandas do Brasil todo, trabalhando direta ou indiretamente em vários projetos musicais. Já vi projetos decolarem com investimentos de 5, 10 e 20 mil reais. E também já vi projetos de 40, 75 e 115 mil reais fracassarem.

Ahh, mas difícil dar errado se fossem 3 milhões! Não tem como dar errado!”. Talvez.

Dinheiro não compra talento. Você pode usar o dinheiro para desenvolver o seu talento, com treinamentos, aulas etc; mas existem muitos poucos casos conhecidos em que músicos de pouco talento sobreviveram após o primeiro hit, e hoje são conhecidos como One-hit wonder.

Outro ponto que costumo identificar com frequência são problemas relacionados ao planejamento e execução dos projetos. Dias atrás chegou ao meu conhecimento a história de um grupo que gastou um Honda Civic 2016 em produção e divulgação do seu projeto musical, e só perceberam que tinham trabalhado em cima do público errado quando o dinheiro tinha acabado.

Acredito que erros – ou melhor, a falta de planejamento, é responsável por cerca de 92% das carreiras musicais fracassadas. É o sonho de viver de música, da sua própria arte, indo pelo ralo abaixo.

Hoje, a barreira de entrada do músico no mercado musical é quase nula. A tecnologia permite que o músico/banda produza e gerencie sua carreira de dentro da sua própria casa. E com custos muito baixos. O trabalho é aprender.

Porque Dinheiro é 100%

Quase tudo envolve dinheiro quando falamos de sobre projetos musicais.  

Os instrumentos de trabalho, outros equipamentos de som, a hora do estúdio, a energia elétrica, a água, o transporte… e principalmente, a valor da hora de trabalho dos mais diversos profissionais que compõe o ecossistema musical. 

Existe uma grande diferença entre sair barato e estar dentro do orçamento, mas independente disso, dinheiro terá que ser colocado na mesa. 

É o dinheiro que irá possibilitar que o seu projeto musical tenha marketing profissional para chegar até as pessoas que realmente vão se identificar com a sua proposta musical.

É preciso ter dinheiro para contar com bons profissionais de vendas que irão apresentar o seu projeto para curadores de festivais, espaços de shows e mídia, e negociar a sua apresentação e condições. 

É preciso ter dinheiro para que o seu som possua uma qualidade mínima aceitável, além de um produtor que irá direcionar o seu trabalho. 

É preciso ter dinheiro para que você possa ter vídeos profissionais que desperte a curiosidade, e fotos para que você simplesmente saia bem na foto. 

É preciso ter dinheiro para estampar boas mídias e ganhar presença nos canais onde a sua base de fãs está concentrada. 

Talvez você consiga pechinchar muito e gastar pouco, mas ainda sim, irá gastar. Se não gastar, estará recebendo coisas por favor, que certamente, em um futuro não tão distante, será cobrado. 

Como Organizar as Suas Finanças

A melhor prática quando falamos de dinheiro é ter o controle absoluto dele. 

Saber quais são as fontes de receita que o seu projeto musical poderá obter e qual o investimento será necessário para que ele atinja, conquiste e fidelize fãs. A partir disso, você poderá traçar metas reais. 

Trabalho com negócios há muito tempo e a ausência do controle financeiro leva projetos com grande potencial para o buraco em poucos meses. E eu não estou falando apenas de negócios que envolve o mercado musical, de empresas de tecnologia, de serviços, de produtos. 

A consequência (trágica) é o investimento errado e a ausência de metas financeiras. 

Bandas com um som ANIMAL guardando caixas de CDs físicos porque o público delas simplesmente não tem nem sequer onde colocar um CD, seja porque a entrada de CD do notebook foi substituido por HD SSD ou simplesmente porque é um saco. 

A regra aqui é: tenha um fluxo de caixa completo, com previsão orçamentária. Heim?!

Com um fluxo de caixa é possível compreender o que está entrando de dinheiro por fonte de receita: shows, venda digital, streaming, youtube, merchandising etc. Você poderá observar quais fontes estão gerando mais receita e quais não estão, e a partir disso, criar uma ação e meta para vender mais. 

O mesmo vale para as despesas. Sabendo em que e onde o dinheiro está indo, é mais fácil rever o seu processo, adotar reduções e até mesmo cortar custos desnecessários.

Recentemente tivemos um caso de uma dupla que estava indo a falência porque não sabia onde o dinheiro estava indo. Ao fazer uma auditoria simples no cartão “empresarial” do negócio, identificamos que 57% das despesas concentrava-se em alimentação e transporte individual. Após uma conversa para entender como estava sendo usado este dinheiro, descobrimos que era um custo pessoal atrelado ao projeto musical. Os responsáveis se comprometeram a parar de usar e o resultado foi uma queda de 57% para apenas 5% (um economia em torno de 5 mil reais mensais). 

Ao criar um projeto musical, descubra quais são os requisitos para que o projeto seja executado em sua totalidade, levante os custos disso e compare se existe dinheiro em caixa para isso e como você conseguirá recuperar esse investimento e claro, lucrar. 

Ganhar Dinheiro Não é Pecado

Não existe absolutamente nada relacionado a pecado x ganhar dinheiro. O pecado está gastar de forma errada ou com coisas que não tem relação com o seu projeto e valores pessoais. 

Cobre de forma justa, pelo esforço do seu serviço e pela qualidade do seu trabalho. Pela experiência de entretenimento e de vida que você pode dar as pessoas. 

Se você não vender, você não terá dinheiro, e sem dinheiro, você não irá conseguir extrair a qualidade que você imagina para o seu projeto musical, qualidade esta que você sabe que o seu público quer. 

Se você não pensar em metas de vendas e metas de despesas, você estará apenas gastando seu dinheiro e tempo, com chances mínimas de ocupar o espaço no mercado musical e na cabeça dos fãs. 

Finanças