O Marketing na Música é um dos principais pilares que equilibra o projeto musical e fornece a ele longevidade e resultados.

Este é o segundo artigo da série sobre Marketing Musical: Afinal, Que P*##@ É Essa?

Caso você não tenha lido o primeiro artigo, clique aqui para ler a primeira parte. 

Você pode ter os recursos (financeiros, tecnológicos, humanos) suficientes alocados na produção artística.

Sem marketing, você está em desvantagem comercial, é menos competitivo e terá instabilidade financeira permanente. 

Sem falar que empresários, produtoras, investidores e gravadoras muito dificilmente (pra não dizer impossível) vão investir ou trabalhar com alguém que não possui ações e estratégias de marketing em torno do projeto musical. 

Se você chegou até este artigo, é porque você veio de uma ação de marketing de nossa parte. 

Neste artigo, vamos explorar o conceito do marketing na musica de forma simples, avançar no seu conhecimento e parar de torrar dinheiro em anúncios. 

O Marketing na Música

Outro objetivo do marketing na música, após identificar e satisfazer as necessidades humanas e sociais, é “chamar a atenção e desenvolver a demanda para o que você criou.”

Identificar as necessidades humanas da sua tribo nós damos de graça para você no artigo A Cauda Longa da Música: Tribos e Superfãs e no Guia de Tribos e Construção de Personas

Além de identificar, acredito que você tenha produzido. É preciso ação, lembre-se. Planeje, crie e teste. Teste sempre para uma pequena parcela de fãs algo que você quer levar até os finalmente.  

Agora que tu tens algo valiosos e desejado, é o momento de você construir conteúdos que chamem a atenção e desperte o interesse das pessoas em clicar, se apaixonar e consumir. 

Para que tais ações sejam melhor aproveitas, continue aprendendo mais sobre a essência do marketing e suas leis fundamentais. 

Endereçabilidade

Endereçabilidade é uma medida da facilidade de entrar em contato com pessoas que podem querer o que você está oferecendo. 

Por isso que aqui na Gestão de Bandas nós falamos muito sobre tribos.

Além de serem fáceis de serem identificadas, toda tribo precisa de líderes.

Lembrando que liderança não envolve spam em grupos implorando para ouvirem sua música.

É relacionamento.

Atuar longe da sua tribo é compartilhar o seu clipe de música gospel em um grupo de black metal.

Além de nada receptível, vai usar a sua energia e gerar desconforto.

Um público endereçável pode ser atingido com rapidez e facilidade, desde que você tenha feito a sua pesquisa de marketing.

A internet facilitou muito a endereçabilidade das tribos e grupos de pessoas que gostam de determinados gêneros musicais.

Anos atrás o artista colava posters dos shows em postes, distribuía flyers nas ruas e nos locais de concentração de suas tribos.

Hoje, a internet e suas plataformas de anúncios fazem isso de forma muito mais endereçável.

Sabendo o que interessa sua tribo, é possível criar anúncios somente para pessoas que curtem, por exemplo, dança.

Faz todo sentido do mundo usar esse interesse quando o seu clipe possui do início ao fim, elementos de dança.

Pesquisando bem o que a minha tribo gosta, tem interesse e quer, eu consigo chegar nelas de forma rápida e fácil.

Ter um site do seu projeto musical é extremamente importante. É o seu endereço oficial na internet.

As rede sociais podem acabar (algumas delas estão morrendo aos poucos), mas o seu site vai continuar lá, é o endereço oficial, a caixa postal certa para seus fãs.

Um exemplo.

Digamos que a sua tribo também gosta da Ivete Sangalo.

Um artigo bem estruturado no blog do seu site (ou vários) feito por um especialista em SEO, pode rankear no Google e atrair parcela das 300.000 mil pessoas que, por mês, digitam Ivete Sangalo na barra de pesquisa do Google.

Que fosse 10.000 mil buscas por outro artista. Não importa, se elas são da sua tribo, atraia elas para o seu endereço.

Lá, ela terá a oportunidade de se conectar com a sua tribo, com o seu projeto musical, com a sua mensagem…

Voltando ao exemplo da Ivete Sangalo (viu que estou usando a palavra-chave Ivete Sangalo, vai que começa a rankear, né?!)…

Identificar o que o fã clube dela faz, onde estão, como escutam música, onde ficam sabendo sobre ela, é uma excelente fonte de pesquisa.

Com o resultado, você poderá fazer ações de marketing nestes endereços, se relacionando e atraindo as pessoas para te conhecer.

Definitivamente não se trata de uma fórmula, mas é eu diria que é uma boa operação para você praticar e colocar ação em cima. 

PS: No curso Marketing Musical – Digital Phase existe um módulo exclusivo onde ensinamos você a desenvolver sites artísticos profissionais de forma rápida, orientado para resultados e no WordPress. Clique aqui para conhecer mais. 

Desejo

Para que alguém queira lhe pagar um bom dinheiro pelos seus produtos/serviços, ele deve desejar o que você tem a oferecer.

O que eu vou dizer aqui não é nada romântico…

Como artista e músico, de banda ou não, você é um elemento que agrega valor para os contratantes e uma ferramenta de marketing para eles.

Não fique surpreso.

Você faz a mesma coisa, mas com seus fãs. Quanto maior for a sua base de fãs, mais valor agregado você possui e com certeza vai usar o número de views, curtidas e seguidores para chamar a atenção do seu contratante.

É por isso que qualquer festival bem sucedido terá no Line-Up grandes bandas ou artistas com uma audiência enorme. Isso vai chamar a atenção das pessoas.

E elas vão lá por causa deles, não por causa das bandas e artistas menores.

Um exemplo clássico é a tradicional arte de apresentação do Line-Up do Lollapalooza.

Clique aqui para abrir numa nova janela e visualizar o poster. 

Artistas e bandas de maior audiência na parte de cima e com fonte 48, e aquelas de baixa audiência com fonte 10.

Sacou o recado?

Uma vez um grande empresário do mercado musical me confidenciou que ele calcula o markup para cachê de um artista/banda com base na agregação de audiência que possui.

É por isso que você precisa, através da sua proposta de valor, despertar um DESEJO insano nas pessoas.

Use todas as artes a seu favor e construa algo que elas realmente desejam. 

Descubra como fazer isso lendo nosso artigo Novo Artista: A Transformação Necessária.

E você só vai conseguir entregar o que elas desejam se você saber o que elas querem.

Siga sua tribo, preste atenção, pesquise, colete dados e dai sim, organize seu modelo de negócios, execute projetos e use todo o conhecimento de marketing que você está tendo para simplesmente entregar o que as pessoas querem, e elas vão ficar felizes em trocar o dinheiro delas pelo desejo que você irá satisfazer.

PS: Baixe gratuitamente nosso Guia de Tribos e Construção de Personas, clique aqui para abrir em uma nova janela. 

Visualização

A maneira mais eficaz de fazer as pessoas desejarem algo é incentivá-las a visualizar como seria a vida delas consumindo o seu produto ou serviço.

É um esforço de simulação mental que você, como artista, tem plenas condições de simular.

Nossa mente é configurada para imaginar automaticamente as consequências das nossas ações.

É por isso que fotografia de shows profissionais são extremamente eficazes em divulgações de shows e apresentações.

Uma boa foto estimula a mente do seu fã, colocando ele ali, naquela posição, vendo você tocar.

Um vídeo bem produzido pode trazer o mesmo efeito, desde que bem produzido e cujo objetivo seja mostrar como seria para o seu fã estar lá.

Não é só música.

Produza fotos e vídeos sob a perspectiva do seu fã. Imagens de pessoas frenéticas, pulando, chorando, correndo, em contato social, felizes ou seja lá qual for o principal elemento de conexão da sua música e mensagem com as pessoas. 

O mesmo vale para contratantes.

Grave e tire fotos de como funciona os bastidores.

Um bom videomaker acompanhando como você e sua banda se prepara para um show, desde a escolha das músicas, até a preparação dos equipamentos, a produção do poster, colocando pra rodar anúncios, fechamento com hotéis, transporte, organização, passagem de som, o encerramento da noite, camarim, limpeza…

Explore o elemento visualização em tudo que puder. E claro, use isso no envio da proposta comercial.

Faça isso com fotos. Mostre para seus fãs que você e seu fotógrafo vai receber eles para fotos, publique fotos com fãs, compartilhe as fotos e vídeos deles.

Quer material na imprensa? Visualize para o jornalista como funciona os bastidores da propagação de informação no seu projeto musical.

Mostre onde já saiu, como vocês deram atenção para isso… mostre números de abertura e cliques de e-mail marketing, chatbot…

Mostre que uma nota, uma coluna, três páginas dedicadas a sua banda vão atrair publico para o blog/site daquele veículo de imprensa.

Mostre, mostre, mostre.

Quando você divulga fotos ruins, aquela qualidade de foto vai representar você.

Quando você divulga vídeos ruins, estáticos, sem boa captação, que mal dá pra entender o que é cantado, é isso que vai representar você.

Se as artes que você usa para se comunicar e criar identificação não tem identidade da tribo, a tribo não vai identificar você como um possível lider delas.

PS: Caso você precise de fotógrafo de shows e equipe de produção audiovisual, clique aqui e conheça o HUB da Gestão de Bandas.

Estruturação

A estruturação é o ato de enfatizar os detalhes que são de importância crucial enquanto minimiza as coisas que não são, reduzindo a importância de alguns fatos ou omitindo-os completamente.

Basicamente envolve comunicar corretamente os benefícios dos seus produtos e serviços nos canais certos.

Sabe o site que você ainda não tem? Ele mesmo.

Você não precisa dizer para o seu fã sobre o seu rider técnico, mapa de palco ou inputlist. Nem mesmo a imprensa precisa saber disso.

Se o seu contratante entrou no canal destino a ele no seu site e clicou para baixar e analisar a proposta comercial, pode ter certeza que ele já ouviu, viu e gostou de você.

Agora ele tá focando nos resultados que você vai dar a ele, retorno de investimento e essas coisas.

Prepare para eles 3 opções de setlist em playlists personalizadas, pra ele sentir já de cara que a escolha foi bem feita para ambiente dele.

Mostre a equipe envolvida no processo de contratação: técnicos, designers, analistas de marketing, produtor etc.

Se não tiver essa galera, mostre quem da equipe da banda fará isso. Mostre que eles tem Certificado da gestão de bandas por exemplo.

Já o seu fã… seu fã não quer saber nada disso.

Um álbum íntimo de fotografia de shows, backstage e baladas da sua turnê vai ser mais interessante para seus fãs.

Vídeos exclusivos no seu site, também.

Acervo de músicas Lado B, exclusivas no seu site, também. Superfãs são os únicos que ouvem e gostam do ‘lado B’ dos álbuns.

A imprensa precisa de histórias para selecionar, recordar e publicar. Bem como um pack rápido de fotos de alta qualidade para utilizarem.

Patrocinador?

Mostre para ele os benefícios, em quais locais a marca dele será exposta, visualize para ele através de mockups a forma como você vai ajudar a divulgar a marca dele, para quem e quais são os números que você construiu.

Tudo estruturado, bem organizado.

Potencialize o que é importante para cada audiência sua.

Série

Este é o segundo artigo da nossa série de artigos sobre Marketing Musical.

Deixe o seu comentário sobre o que você gostaria de ler nesta nossa série. 

O fato é que para você realizar ações de marketing, você precisa compreender a essência dele. 

O Marketing é um universo a parte que vamos desvendar nessa série sobre Marketing Musical!

– Leia agora mesmo Marketing Musical: Afinal, Que P*##@ É Essa? Parte #1.

Aproveite para se inscrever em nossa lista e receba os demais conteúdos desta série diretamente pelo seu messenger! Clique aqui para se inscrever. 

E aguarde o lançamento do Marketing Musical: Afinal, Que P*##@ É Essa? Parte #3. 

Marketing