Viraliza!

… ou não viraliza? Já ficou revisitando sua postagem ou o seu vídeo a cada 2 minutos para ver se aumenta o número de curtidas? Já apertou F5 indecorosamente, como se fosse adolescente apaixonado(a) esperando o crush ligar?

É, quem nunca?

Afinal, é o que dizem: viralizou, ficou rico. Ou será que não?

Bom, vamos botar ordem nos pensamentos para entender exatamente do que se trata essa questão e a grande importância na música.

Quero que meu conteúdo viralize. O que eu faço?

Tiro a roupa? Bebo água do Tietê? Danço no meio da rua? Tomo banho de Nutella? Acredite, já pensaram em tudo isso. E viraliza mesmo. Quer ver?

Tá se sentindo melhor por ter visto um bobo tomar banho em 270 kg de Nutella? E por que é que você gastou precisos minutos da sua vida vendo um bobo tomar banho de Nutella?

Há uma razão para isso, e é super científica.

Aliás, são 6 as razões, de acordo com Jonah Berger, PhD em Stanford, professor de marketing pela Wharton e todas aquelas credenciais impressionantes. Ele escreveu um livro muito bom chamado “Contágio – Por que as coisas pegam” e listou algumas características fundamentais para algum conteúdo viralizar.

São elas:

  1. Moeda social – alguém fica melhor na fita ao compartilhar o seu conteúdo? Quem compartilhar o seu conteúdo ganha alguma coisa boa? É novidade? É ousado? É diferente? Tem um cara tomando banho de Nutella envolvido?
  2. Gatilhos – toda vez que alguém vir / sentir / lembrar de alguma coisa, vai lembrar do seu conteúdo e contar para as outras pessoas? (tipo assim: “pô, falando em bandas de rock, vocês viram o cara tomando banho de Nutella”…)?
  3. Emoção – o que o seu conteúdo causa nas pessoas? Alegria? Ódio? Medo? Tristeza? Fome?
  4. Público – é alguma coisa que faz parte da vida de todo mundo? As pessoas querem mostrar isso para os outros como parte da vida deles? Vai todo mundo sair tomando banho de Nutella? Não, mas todo mundo participou do desafio do balde de gelo!
  5. Valor prático – Pessoas aprenderam alguma coisa prática sobre alguma coisa com seu conteúdo? É um tutorial rapidinho? Deu para aprender que um homem crescido cabe em uma banheira com Nutella e isso só consome 272 kg. (e algo em torno de R$ 16.750…)
  6. História – conte uma boa história com seu conteúdo; dê algo para as pessoas torcerem, um pouco de dúvida, um pouco de dificuldades, um pouco de mistério e contextualize seu conteúdo em algo mais amplo. Depois da banheira de Nutella, que tal uma banheira de Cheetos? Ou de molho de pimenta?

Sigo a receita…e viraliza?

Logicamente, estamos falando aqui de seis maneiras de estimular a viralização de algo, não de um passo a passo, portanto, não é uma receita de bolo com medidas precisas.

Viraliza!

Entre esses itens, qualquer combinação de qualquer quantidade de um ou mais vem a contribuir para seu conteúdo atingir mais e mais pessoas, online e offline.

E é claro, aqui é o momento de parar de fazer clipe dos caras tocando no estúdio e achar que isso vai fazer a diferença na vida das pessoas. A música é boa? Legal.

A música é fodástica o suficiente para ser compartilhada? Tomara que seja, estou torcendo por você. Mas eu aposto que se fosse, você já estaria fazendo um tour internacional sem nem lembrar dos amigos aqui do Gestão de Bandas.

E o que faz algo viralizar na música? Faça algo doido que ninguém fez antes e tente despertar verdadeiras emoções nas pessoas. Ou faça muito bem feito algo que não foi muito explorado.

A Banda Mais Bonita da Cidade conseguiu um bom resultado com o clipe filmado em uma tomada só (sem cortes). Mais de 21 milhões de visualizações. Música bonitinha, roteiro básico e uma produção simples. E não é nem uma ideia original (o Paralamas do Sucesso já tinha feito, Los Hermanos também, Caetano, Thiago Petit, Gabi Amarantos e muitos outros), mas é bem melhor do que todo mundo no estúdio.

Mas cá para nós, você pode inventar doideira maior que essa, não pode? Então larga de ser conservador e fazer o que está todo mundo fazendo e dê motivos para a galera compartilhar. Basta seguir a lista do Jonah Berger ali em cima para se inspirar.

Mas aí é que vem a questão: você precisa de conteúdo viral?

Nessa terra, em se pagando, tudo dá

Rede social não é o paraíso bonitinho das artes, infelizmente. Tem que pagar. Se você tiver grana o suficiente, consegue mil, dez mil e até um milhão de compartilhamentos, curtidas o que for.

E você paga a primeira leva para as pessoas terem acesso e se for legal mesmo, todo mundo vai compartilhar. Aí é só ficar vendo os números crescerem. Se o conteúdo não for bacana, vai exigir mais dinheiro. Mas você pode pensar em manter um investimento em marketing constante para manter o conteúdo sempre na timeline de todo mundo.

Aí você vai conseguir ver crescer suas curtidas no face, assinaturas no youtube e você estará cercado de gente que não está nem aí para você.

É, esse é um efeito colateral pesado da viralização. Você não terá fãs, terá uma população que curtiu seu conteúdo. E aí? Valeu a pena? Não mesmo.

Já pensou se você tem uma banda de punk, faz um clip muito louco para divulgar sua música e de repente você recebe 10 mil curtidas de velhinhas na sua página? O que você vai fazer com esse público?

Vai conseguir arrastar para o show?

Ou, você é do sul e de repente seu conteúdo viraliza no Amazonas. Atender ao público vai ser bem legal, mas e se o cachê for de R$ 300 e a passagem custar R$ 3 mil?

Viraliza!
É rock cumpadi…

Público que é resultado de ação viral dificilmente se converte em fã e mais dificilmente ainda você vai conseguir extrair dinheiro deles.

Pô, então não vale a pena ter conteúdo viral?

Vale, é claro que vale!

Eu e você sabemos que esse público não necessariamente vai te trazer resultados, mas isso é só entre eu e você. Os donos dos bares e dos locais onde você vai tocar não sabem! Então, faça o favor de levar esse resultado delicioso para onde você for e mostrar para todo mundo!

Isso é o maior poder de barganha que você poderia querer. Até onde todo mundo sabe, vocês já são famosos e arrastam multidões onde vocês foram.

Então, não deixa o dono do bar ler esse artigo e convence todo mundo que esse resultado de que tudo viraliza é normal no dia a dia de vocês. Afinal, quem contrata uma banda, no fundo no fundo só quer saber de quanto público vocês tem.

Se é público que eles querem, lá vai!

Marketing